quarta-feira, 19 de julho de 2017

Efêmero


Do pó eu vim e ao pó voltarei
O que minhas mãos tocaram terá seu fim
Em vasos de barro ponho tudo o que eu tenho
Pra que nada do que eu tenha seja meu

Me ensina a contar os meus dias
Pra que nenhum dia se perca sem Ti
És o bem mais precioso que tenho
E Te tenho porque me escolhestes pra Ti

Que eu tenha somente o necessário
Pois no muito predomina a arrogância
E com o pouco pode vir a blasfêmia
Presente eterno, Tu és tudo o que eu preciso
 
Que meu coração esteja em Ti
Que meu coração se encha de Ti
Pra que minha boca manifeste teu louvor

Nenhum comentário:

Postar um comentário